Foto: Luc Mercelis (CC BY-NC-ND 2.0) Dicas / Europa

A Europa é o destino dos sonhos de muitos brasileiros. O continente, realmente, possui países incríveis e atrações turísticas para impressionar qualquer turista bem viajado.

Quando se fala em viagem à Europa, as pessoas sempre possuem dúvidas com relação ao seguro de viagem. É mesmo necessário o seguro de viagem? Vale a pena fazê-lo? O preço é muito alto? Precisarei usá-lo?

A questão do seguro de saúde se divide em duas partes: tranquilidade de viajar com o seguro de saúde e requisitos imigratórios.

Seguro Saúde

Quando planejamos uma viagem nunca pensamos que podemos ter algum problema de saúde. Entretanto, nunca se sabe quando um problema pode aparecer. Se, justamente, durante uma viagem internacional você tiver algum problema pode lhe custar caro! Os custos médicos e hospitalares na Europa são altos, principalmente se considerarmos a Europa Ocidental, que é onde a maioria dos brasileiros costuma viajar. Uma simples consulta médica e uma medicação na veia ou engessar um braço podem lhe custar algumas centenas de Euros. Se for uma internação com um procedimento cirúrgico, como no caso de um apendicite, a conta será de alguns milhares de Euros.

Por isso, a maioria dos turistas contratam o seguro de viagem mesmo nunca precisando utilizá-lo. Como o seguro ainda possui outras coberturas como regresso antecipado ao país em caso de problema de saúde próprio ou em alguém da família, indenização contra extravio, dano e atraso de bagem, etc é uma segurança contratar o seguro de viagem. Até porque é um valor pequeno perto do custo total de uma viagem. Porém, existe uma questão ainda mais importante que é a imigratória.

Tratado de Schengen

Você pode pensar que não vale a pena contratar o seguro de viagem, achar que vale a pena correr o risco e se acontecer algum problema você pagar pelo procedimento. Entretanto, a Europa possui o Tratado de Schengen que é um regulamento que institui algumas regras aos turistas que visitam países-membros da União Europeia, além de Islândia, Noruega e Suíça; ou seja, a maioria dos países do continente e todos aqueles mais turísticos.

O Tratado de Schengen determina que os turistas que chegam a esses países possuam um seguro de viagem com uma cobertura mínima de € 30 mil Euros para auxílio médico em caso de doença ou acidente. Por isso, ao entrar na Europa, caso a imigração lhe peça o seguro e você não possua, você pode ser impedido de entrar no país!

Qual seguro de saúde escolher?

Existem várias empresas que comercializam seguro de viagem. Cada um tem algumas características próprias, mas no geral os seguros se parecem muito. A principal questão a ser observada é o limite para despesas médicas. Esse é o principal item do seguro. Fora isso, você pode contratar o seguro com o valor menor.

Indico fazer a compra através do Seguros Promo que é uma empresa que vende seguros de viagem de várias seguradoras. No site você pode comparar valor do seguro, limite das despesas médicas e do seguro de bagagem. O melhor de tudo é que, na maioria dos casos, eles vendem com preços menores que as próprias seguradoras. Isso acontece porque as seguradoras mantém um preço mais alto para incentivar os revendedores, que são as pessoas que mais vendem. Como a Seguros Promo vende uma quantidade bem alta, ela consegue um preço menor.

Nós temos um convênio com a Seguros Promo, por isso utilizando o código ABRACEOMUNDO5 você ganhará um desconto de 5%.

Faça uma cotação do seguro de viagem

Alternativas à contratação do seguro de viagem

Alguns cartões de créditos do tipo Platinum ou Black oferecem esse seguro de viagem, caso você compre a passagem pelo cartão. Não são todos os cartões que dão esse direito e existem várias regras restritivas, por isso é bom saber os detalhes junto a operadora do cartão para você não ser surpreendido.

Outra opção é utilizar o CDAM, Certificado de Direito à Assistência Médica, que é um convênio de saúde entre o Brasil e alguns países da Europa (Itália e Portugal). Esse acordo lhe permite utilizar o sistema público de saúde desses países e por isso dispensa o seguro de saúde.

Para saber os detalhes da solicitação e emissão do CDAM acesse o site do Ministério da Saúde.

Foto: Luc Mercelis (CC BY-NC-ND 2.0)

Felipe Zig

Felipe Zig é jornalista, fotógrafo e apaixonado por viajar. Depois de conhecer mais de 20 países, decidiu criar o blog “Abrace o Mundo” para dar dicas de viagens e incentivar outras pessoas a viajar.

Pin It on Pinterest