Foto: Jeff Nesanelis (CC BY 2.0) Jordânia

Existem poucos lugares no mundo onde você fica anestesiado de tanto encanto e Petra é um deles. A incrível cidade, que foi construída na rocha, é de uma beleza surpreendente. Não é a toa que essa atração turística possui tanta fama.

Petra é uma das 7 Maravilhas do Mundo Moderno e é a mais incrível delas na minha opinião. Ou melhor, eu ainda não conheço o Taj Mahal, mas dentro das outras seis é sem dúvida a mais incrível! Apesar dos títulos de Maravilha do Mundo e de Patrimônio Mundial da Humanidade da Unesco serem importantes para Petra, não foram eles que despertaram o interesse internacional no sítio arqueológico. Em 1989, foi lançado o filme Indiana Jones e a Última Cruzada que foi sucesso de público. Na parte final, existem algumas cenas de Indiana Jones chegando em Petra. As imagens são incríveis! Até parece que é um cenário montado por Hollywood, nem parece que é algo real. A partir daí e especialmente depois do tratado de paz com Israel, na década de 1990, o turismo em Petra começou a deslanchar.

Leia também: Onde se hospedar em Petra, Wadi Musa

Foto: reprodução filme Indiana Jones e a Última Cruzada

História de Petra

A região de Petra já era habitada há 3.000 anos. Entretanto, foi a partir de 312 a.C., quando os Nabateus dominaram a região, que a cidade começou a se desenvolver. Eles escolheram Petra como sua capital e começaram a fazer belas construções esculpidas na pedra. Os Nabateus utilizavam estilos arquitetônicos de grandes civilizações da época em estilo egípcio, grego e romano.

Tudo isso era possível, porque a cidade tinha importância e recursos financeiros. Estava situada na rota de comércio que ligava península árabe e Egito à Roma, Grécia e Síria.

Em 64 a.C. os territórios Nabateus foram conquistados pelo Império Romano, mas ao invés de controlarem a região, os romanos deram autonomia aos Nabateus, ficando eles responsáveis por pagarem impostos. Apenas em 106 d.C. que o imperador Adriano retirou essa autonomia e os romanos passaram a controlar diretamente Petra.

Tumba de Urn

Com o domínio do Império Romano de toda a região, as rotas comerciais foram modificadas, deixando de passarem por Petra. Isso fez a economia da região declinar. Porém, o que determinou o fim da cidade foram dois terremotos nos séculos IV e VI que destruíram Petra. Foi nesse momento que a cidade foi abandonada. Petra caiu no esquecimento e era conhecida apenas por beduínos que viviam no deserto. Apenas em 1812, quando o suíço Johann Ludwig Burckhardt visitou a cidade, que ela voltou a ser conhecida e estudada.

Leia também: Principais pontos turísticos da Jordânia

Desfiladeiro – Siq

desfiladeiro entrada de petra

Desfiladeiro (Siq)

A entrada principal de Petra é através de um desfiladeiro, chamado de Siq. Como o local é estreito, servia para garantir a segurança da cidade. Ele possui de 3 a 12 metros de largura e até 80 metros de altura. Mesmo se não tivesse nenhum dos prédios esculpidos nas pedras, só essa parte já valia a pena conhecer. Depois de caminhar 1,2 km pelo desfiladeiro, você vê por entre as rochas uma grande construção feita na pedra. Quanto mais você vai andando, mais a visão vai se ampliando. A cena é igual a do filme do Indiana Jones e totalmente impactante. Quando você chega ao final do desfiladeiro encontra o incrível Al-Khazneh.

principais atrações de petra

Desfiladeiro com Al-Khazneh ao fundo

Al-Khazneh

Al-Khazneh, que significa “o tesouro” em árabe, é a principal atração de Petra. É um incrível prédio em estilo helenístico, esculpido na rocha. Com uma fachada de 43 metros de altura e 30 de largura, a construção do século I d.C. que parece um palácio, na verdade é um mausoléu real. Segundo uma lenda local, a urna funerária que está em Al-Khazneh guarda os tesouros de um faraó.

Como essa é a primeira grande obra que se vê em Petra, também é a mais fotografada e cheia de todo o sítio arqueológico. Por lá transitam centenas de turistas, vendedores, charretes e camelos. Por isso, muita gente acaba tirando fotos com os camelos.

Leia também: Dicas práticas para a visita à Petra

Al-Khazneh

Monastério – Ad-Deir

A segunda principal atração de Petra, que para mim é a mais bonita, é o Ad-Deir, mais conhecido como Monastério. O prédio foi construído no século III a.C. para ser um mausoléu, mas foi utilizado no século V como uma igreja bizantina. O Monastério é maior do que Al-Khazneh. Possui uma fachada com 48 metros de altura e 47 metros de largura e como o local é mais amplo é possível ver a construção de longe.

Leia também: Quantos dias ficar em Petra

monastério petra jordania

Monastério (Ad-Deir)

O Monastério é um local muito mais vazio que o Al-Khazneh, porque fica no alto de uma montanha e é preciso subir 800 degraus para chegar até lá. Porém, vale a pena a subida!

Petra by Night

Não é apenas durante o dia que Petra chama a atenção dos turistas. A noite acontece o Petra by Night, quando o caminho desde a entrada do sítio arqueológico, passando pelo desfiladeiro até Al-Khazneh é iluminado por velas. São 1500 velas que transformam o cenário e ajudam a criar um clima diferente.

Petra by Night – Foto: momo (CC BY 2.0)

Não ter visto o Petra by Night foi um dos maiores arrependimentos de viagem. Eu poderia ter visto na quarta-feira, mas como estávamos cansados, deixamos para o dia seguinte. Demoramos a sair do sítio arqueológico, por isso até vimos algumas velas acesas. No dia seguinte, quinta-feira, choveu e a apresentação foi cancelada. Como o Petra by Night só acontece três vezes por semana: segundas, quartas e quintas-feiras, não tínhamos mais tempo para esperar a próxima apresentação.

OUTRAS MATÉRIAS SOBRE A JORDÂNIA:

-Jordânia: um país acolhedor, seguro e cheio de encantos

-Wadi Rum, o incrível deserto da Jordânia

-A Jordânia é cara? Quanto custa viajar ao país?

-Jordan Pass, a dica para economizar na viagem à Jordânia

-Amã, a capital da Jordânia, um lugar agradável e pitoresco

Foto de capa: Jeff Nesanelis (CC BY 2.0)

Felipe Zig

Felipe Zig é jornalista, fotógrafo e apaixonado por viajar. Depois de conhecer mais de 20 países, decidiu criar o blog “Abrace o Mundo” para dar dicas de viagens e incentivar outras pessoas a viajar.

Share This