fbpx

Jerash, a incrível cidade romana da Jordânia Jerash

Quem visita a Jordânia e pensa que a única ruína de cidade histórica é Petra está muito enganado! Jerash é uma incrível cidade romana de beleza única. É uma das cidades romanas mais bem preservadas do mundo. Há, inclusive, quem a considere a principal ruína de cidade romana fora da Itália.

Jerash se tornou um centro urbano no século III a.C. Em 63 a.C, a cidade foi conquistada pelo Império Romano e foi justamente nesse século que ela cresceu e prosperou. Como estava localizada na rota de comércio da Península Árabe para a Síria, tornou-se um importante centro comercial. O imperador Adriano visitou a cidade, em 130 d.C, e o arco na entrada, uma das construções mais bonitas de Jerash, foi construído para celebrar a sua visita. Até por isso é chamado de Arco de Adriano.

Leia também: Onde ficar em Jerash, na Jordânia

Arco de Adriano

Após a divisão do Império Romano, Jerash passou ao domínio do Império Romano do Oriente, posteriormente Império Bizantino; nessa época a cidade perdeu importância. Após a conquista árabe da região, no século VII, a cidade passou a se chamar Jerash. O fim da cidade se deu durante as Cruzadas, em 1121 o Rei de Jerusalém, Baldwin II, destruiu completamente a cidade. Apenas em 1925 o trabalho arqueológico começou e através de escavações a cidade foi redescoberta.

Leia também: Amã, a capital da Jordânia, um lugar agradável e pitoresco

Teatro Romano

Excursões de escolas

Jerash é, atualmente, o segundo principal ponto turístico da Jordânia, tanto em importância quanto em número de visitantes. Ela só perde para Petra. O local recebe muitos turistas, inclusive do próprio país. Visitamos o sítio arqueológico em uma segunda-feira e estava cheio de excursões de escolas; centenas de alunos de várias idades. O mais curioso é que muitos deles gostavam de conversar com os turistas estrangeiros. Muitos falavam Welcome to Jordan (bem vindo à Jordânia); eu, inclusive, acho que eles devem aprender essa expressão no colégio. Outros alunos falavam que a professora pediu para eles conversarem com um estrangeiro e nos faziam algumas perguntas. O inglês dos alunos não era bom, mas eles eram muito simpáticos.

Excursão de alunas jordanianas em Jerash

Visita

Jerash é um grande sítio arqueológico, com cerca de 1,5 km de extensão da entrada do Centro de Visitantes até o Portão Sul, atração mais distante. Por isso, visitar todo o sítio arqueológico levará cerca de três horas. Pensando no deslocamento desde Amã, pode reservar meio dia ou um pouco mais para essa visita.

As principais atrações da cidade romana são o Fórum (foto de capa), a praça oval rodeada de colunas; o Templo de Ártemis, em homenagem a deusa da caça e o Arco de Adriano, feito para a visita do imperador romano.

Fórum

No Centro de Visitantes, na entrada do sítio arqueológico, existem lojinhas vendendo artesanato, comida, bebida e há também serviço de banheiros. Lá dentro não se vende nada, por isso é bom já estar com a garrafinha de água cheia. Na verdade, nem banheiro vi lá dentro.

Quase não existem sombras na parte de dentro, por isso é bom levar chapéu ou boné e passar protetor solar.

Para quem quiser entender melhor a história do local é bom contratar um guia; próximo ao ponto de conferência de ingressos há serviço de guia oficial. Existem guias de várias línguas. Não vi escrito que havia em português, mas já vi gente falando que encontrou guia que falasse português. Em todo caso, há em inglês e espanhol.

Preço

O ingresso para visitar Jerash custa $10 JD, mas aconselho comprar o Jordan Pass; pois quem visita Jerash, provavelmente visitará Petra e outras atrações turísticas do país. Por isso, financeiramente vale a pena o passe. Para saber mais sobre o Jordan Pass leia: Jordan Pass, a dica para economizar na viagem à Jordânia.

Escadas em Jerash

Como chegar

Jerash está localizada a 50 km ao norte de Amã e existem duas maneiras de chegar até lá: por um tour ou por conta própria. Por tour é mais prático, porém mais caro e menos flexível. A maioria dos hotéis vendem tour para Jerash; caso não seja possível montar um tour coletivo, será oferecido um tour privado. Os tours são de meio dia; como eles costumam sair de manhã, no horário do almoço você já estará de volta.

Uma das rodoviárias de Amã

Jerash está localizada a 50 km ao norte de Amã e existem duas maneiras de chegar até lá: por um tour ou por conta própria. Por tour é mais prático, porém mais caro e menos flexível. A maioria dos hotéis vendem tour para Jerash; caso não seja possível montar um tour coletivo, será oferecido um tour privado. Os tours são de meio dia; como eles costumam sair de manhã, no horário do almoço você já estará de volta.

Já se escolher visitar por conta própria terá duas opções: táxi ou ônibus. Um táxi, ida e volta, sairá por cerca de $40 JD. De ônibus é muito mais barato! Os micro-ônibus saem de uma das rodoviárias de Amã. Pergunte ao recepcionista do seu hotel como chegar e peça para ele escrever o nome da rodoviária em árabe para você. Nós pegamos dois táxi-lotação para chegar até lá, cada um custou 0,50 JD. Já o micro-ônibus para Jerash custa 0,85 JD e lhe deixa em frente ao sítio arqueológico. O único problema é que o ônibus não tem horário, só sai quando está cheio. Como na ida fomos os primeiros a chegar no ônibus, esperamos cerca de uma hora até ele sair. Na volta foi apenas 20 minutos de espera.

Existe também a opção de se hospedar em Jerash. A cidade possui poucas opções de hospedagem, mas pode ser uma alternativa para quem pretende ficar mais tempo por lá. Entretanto, a maioria dos turistas opta por se hospedar em Amã, cidade com muito mais estrutura e opções de hotéis, para saber mais leia: Onde ficar em Amã, a capital da Jordânia.

OUTRAS MATÉRIAS SOBRE A JORDÂNIA:

Principais pontos turísticos da Jordânia

-Petra, a mais incrível das 7 Maravilhas do Mundo

-Quantos dias ficar em Petra

-Wadi Rum, o incrível deserto da Jordânia


Felipe Zig

Felipe Zig é jornalista, fotógrafo e apaixonado por viajar. Depois de conhecer mais de 20 países, decidiu criar o blog “Abrace o Mundo” para dar dicas de viagens e incentivar outras pessoas a viajar.