Foto: Jason Eppink (CC BY 2.0) Siem Reap

Angkor é a antiga capital do Império Khmer. A cidade, que foi fundada no século XII, é atualmente um grande sítio arqueológico. As atrações turísticas não ficam próximas, por isso é bom planejar como você irá visitá-las. Para planejar melhor a visita, o primeiro quesito a decidir é quantos dias ficar no local. Para saber mais leia: Quantos dias ficar em Angkor: 1, 2, 3 ou 4 dias.

Como visitar Angkor

Você pode visitar Angkor por conta própria ou através de um tour. Mesmo se for por conta própria é aconselhável ir com algum meio de transporte como tuk tuk, carro, bicicleta, pois os templos ficam meio afastados entre si. Para saber um pouco mais sobre esse impressionante sítio arqueológico leia: Angkor, a impressionante cidade dos templos de pedra.

Tour

A maneira mais fácil de conhecer as ruínas de Angkor é através de um tour. Eles são vendidos em várias agências de turismo de Siem Reap e também em alguns hotéis. Apesar da grande quantidade de empresas oferecendo esse serviço não há variedade de passeios por Angkor. Basicamente, existem dois tipos de tour: um grande e um pequeno. No passeio está incluído o transporte, que te busca e te deixa no hotel, e um guia falando inglês. O almoço, normalmente, não está incluído nos valores e é pago a parte no restaurante.

carro para alugar angkor siem reap

Estrada que liga as atrações turísticas de Angkor

Circuito Pequeno

O tour mais procurado é o small circuit (circuito pequeno). O tour dura o dia inteiro, porém percorre uma pequena área de Angkor. Apesar do percurso ser pequeno, estão incluídos os principais templos: Angkor Wat, Bayon, Ta Phrom, além de Ta Keo e Banteay Kdei.

Quem tem apenas um dia disponível em Angkor é melhor optar por esse tour, já que estão incluídas as principais atrações do Parque Arqueológico. Além disso, esse tour é mais barato. Por isso, recomendo fazer, pois serão atrações que com certeza você irá querer conhecer e ainda poderá ouvir a explicação do guia sobre os locais visitados.

Circuito Grande

Grand Circuit é o tour que percorre atrações mais afastadas. Como as distâncias são maiores, você passa um pouco mais de tempo se deslocando e por isso visita-se menos templos do que no Circuito Pequeno. Nesse circuito o itinerário pode mudar: em algumas empresas o tour chega até Banteay Srei, o templo mais distante de Angkor Wat, cerca de 35 km de distância; outros levam a templos mais próximos como Preah Khan, Preah Neak Pean, Ta Som. Há quem inclua nesse tour apreciar o sol nascer em Angkor Wat.

Devido às distâncias serem maiores, esse tour é mais caro. É quase o dobro do preço do Circuito Pequeno. Outra opção para visitar esses locais é por conta própria que eu descrevo abaixo.

Visitar por conta própria

Visitar por conta própria lhe dá mais flexibilidade de horário e de escolha das atrações a serem conhecidas, por isso pode ser uma boa escolha. Tirando os templos do Circuito Pequeno, que são de visitação obrigatória, os demais vão depender dos interesses de cada um.

Carro

Para quem gosta de dirigir e ter maior autonomia é possível alugar um carro em Siem Reap. É bom ter GPS no carro, pois alguns templos como o Banteay Srei são mais distantes. As estradas ao redor de Angkor, no geral, são boas.

Se for alugar um carro é bom deixá-lo sempre fechado, pois os macacos são bem ousados.

atrações angkor

Macacos no sítio arqueológico de Angkor

Tuk tuk

Visitar os templos de tuk tuk também é muito comum. Siem Reap é cheia de tuk tuks e sempre estão oferecendo para lhe levar aos templos. Muitos deles falam que são guias, mas na verdade conhecem um pouco da história de alguns templos. É proibido os motoristas entrarem nos templos como se fossem guias turísticos, se eles não forem licenciados. Porém, do próprio tuk tuk eles podem lhe contar um pouco da história do local.

Eu mesmo utilizei um tuk tuk para ir em alguns templos do Grande Circuito, incluindo o distante Banteay Srei. Essa é uma opção bem mais barata do que o tour. Entretanto, como os tuk tuks são mais devagar, o trajeto leva um pouco mais de tempo.

como andar conhecer angkor

Tuk-tuk de Siem reap – Foto: Mark Zastrow (CC BY-NC 2.0)

Apesar de poder fechar diretamente com um tuk tuk na rua, é preferível fechar no seu hotel. No nosso caso, ficamos com medo do motorista nos levar a um templo mais perto dizendo que era outro mais longe, já que não conhecíamos muito bem os templos.

Uma outra dica é deixar bem claro o preço, os templos que você quer visitar e quanto tempo o tuk tuk estará a sua disposição.

Bicicleta

Para quem gosta de pedalar é possível alugar uma bicicleta para visitar Angkor. Alguns templos são mais distantes e fica mais difícil de visitar pedalando, mas os templos do Pequeno Circuito são possíveis de conhecer, apesar de gastar bem mais tempo.

transporte como chegar angkor

Foto: Reinhard Gessl (CC BY-NC 2.0)

Horário de visitação

A maioria dos templos possui horário de visitação entre 7:30 e 17:30 horas. Angkor Wat é uma exceção! Como as pessoas vão até lá para ver o sol nascer, ele abre mais cedo, por volta das 5:00 horas.

Dicas

  • Alguns templos ainda são usados como santuários budistas, como o quarto andar de Angkor Wat. Por isso, para visitá-los é preciso vestir roupas quem cobrem os ombros e os joelhos.

  • Só são permitidas 300 pessoas para ver o pôr do sol em Phnom Bakheng, por isso é indicado que você suba às 16:00 horas para ficar entre as 300 pessoas.
  • Não há limite de pessoas para ver o nascer e o pôr do sol em Angkor Wat. A área é grande, mas é aconselhável chegar mais cedo para poder ficar em um local melhor.
  • A temporada de chuva é entre maio e outubro, por isso nessa época vale a pena levar guarda-chuva ou capa de chuva. Apesar da chuva o tempo costuma ser quente.
  • Não se esqueça de levar protetor solar e água, pois Angkor costuma ser quente!

OUTRAS MATÉRIAS SOBRE ANGKOR:

-Onde ficar em Siem Reap, a cidade próxima a Angkor

-Angkor Wat, um dos templos mais bonitos do mundo

-Como chegar em Siem Reap: avião x ônibus

Foto de capa: Jason Eppink (CC BY 2.0)

Felipe Zig

Felipe Zig é jornalista, fotógrafo e apaixonado por viajar. Depois de conhecer mais de 20 países, decidiu criar o blog “Abrace o Mundo” para dar dicas de viagens e incentivar outras pessoas a viajar.

Pin It on Pinterest