Foto: Héctor de Pereda (CC BY-NC 2.0) Egito

Se existe um lugar no planeta que qualquer pessoa já teve vontade de conhecer, esse lugar é Gizé e suas famosas pirâmides. Não é para menos, essa é a única das sete maravilhas do mundo antigo que ainda existe. A incrível obra, construída há quatro mil anos atrás, sempre fascinou os homens por sua imponência.

Leia também: O que fazer no Cairo, veja as 8 principais atrações turísticas 

O sítio arqueológico, muito procurado por turistas no Egito, possui algumas particularidades e dicas importantes. Mas, antes de falar um pouco mais sobre como é a visita às pirâmides, vamos contar um pouco de sua história.

História

As pirâmides de Gizé foram construídas há 2.500 anos a.C. para serem os túmulos dos faraós, ou seja, receberem seu sarcófago, seus pertences e sua múmia. As pirâmides foram construídas durante o Império Antigo, época em que a capital era Mênfis, cidade próxima a Gizé e Cairo. Estima-se que cerca de 100 mil homens foram utilizados para construir as pirâmides, já que os blocos de pedras eram enormes e extremamente pesados. O nosso guia nos disse, inclusive, que há quem acredite que existia água próximo ao local da obra e os blocos de pedras eram trazidos por barcos. Alguns blocos são quase do tamanho de uma pessoa, veja a foto abaixo.

Leia também: Cairo, a caótica e interessante capital do Egito 

grandes blocos de pedra das piramides

Blocos de pedra das pirâmides

Quéops, Quéfren e Miquerinos

No sítio arqueológico existem três grandes pirâmides e outras pequenas. As três maiores foram construídas para serem os túmulos dos faraós: Quéops, Quéfren e Miquerinos, que eram pai, filho e neto.

Leia também: Como ir às Pirâmides de Gizé: por conta própria ou tour

Quéops

A pirâmide de Quéops foi a primeira a ser construída e é a maior de todas. Possui 137 metros de altura e demorou 20 anos para ser edificada. Essa pirâmide é uma das Maravilhas do Mundo Antigo; não eram as três pirâmides juntas, mas apenas essa. Ela possuía um revestimento que cobria sua lateral, deixando-a lisa. Entretanto, infelizmente, esse revestimento já não existe mais.Mais próxima da entrada do sítio arqueológico, essa é a pirâmide mais cheia. Você verá dezenas de turistas ao seu redor. Apesar de ser a maior, ou seja, mais larga, essa é a pirâmide que as pessoas mais dão a volta ao seu redor.

Pirâmide de Queóps Gizé Egito

Pirâmide de Queóps

Quéfren

A pirâmide de Quéfren é a do meio e a segunda maior. Porém, olhando para ela se tem a impressão de que é maior do que a de Quéops. Isso é devido a dois motivos: o primeiro, é que ela está em uma região um pouco mais alta que a de Quéops e a segunda, é que ela é mais estreita, por isso, seu grau de inclinação é maior.Um fator interessante da Pirâmide de Quéfren é que ela mantém seu revestimento de pedras original na parte superior.

Essa pirâmide é menos visitada que sua vizinha. O lado que está virado para Quéops é o mais cheio. Entretanto, o lado oposto, virado para Miquerinos é vazio, local ótimo para tirar fotografias sem aparecer ninguém atrás, algo impossível na pirâmide de Quéops. Para saber mais leia: Pirâmides de Gizé: descubra os melhores locais para fotografar.

Pirâmide de Quéfren Gizé Egito

Pirâmide de Quéfren

Miquerinos

Miquerinos é a menor das três pirâmides. É muito menor que as outras duas, possui apenas 64 metros de altura. A pirâmide possui uma parte do revestimento exterior. O revestimento é parcial, porque Miquerinos reinou por pouco tempo e não foi possível completar a obra.

Um diferencial da pirâmide de Miquerinos é que ela é a única pirâmide em que está sendo possível entrar em seu interior. Havia lido que nas três era possível entrar, mas quando cheguei lá, me disseram que apenas na Miquerinos estava sendo possível. Queria ter entrado, não fui porque quando cheguei já havia fechado. Mas, dizem que não é tão interessante, pois não tem nada dentro, tudo que tinha lá foi levado para museus e ainda você precisará andar curvado, já que o teto é muito baixo. Porém, caso você tenha interesse em entrar dentro de uma pirâmide, saiba que apenas nessa é possível.

Leia também: Passeio de Camelo nas Pirâmides do Egito, cuidado com os golpes

Pirâmide de Miquerinos

Esfinge

Não podemos deixar de falar da famosa esfinge, que é aquela imagem com o corpo de leão e a cabeça humana. Esfinges eram muito comuns no Egito Antigo. Em Tebas, atual Luxor, havia uma grande avenida que era ladeada por dezenas de esfinges; hoje sobrou apenas uma parte da avenida. Entretanto, a maior parte das esfinges eram pequenas, pois não era comum fazer esfinges grandes.

Segundo o nosso guia, ainda existem muitas dúvidas sobre como e quando foi construída a esfinge. Hoje, acredita-se que a esfinge é a representação do faraó Quéfren, por isso ela fica a frente de sua pirâmide.

esfinge de gizé egito

Esfinge – Foto: askii (CC BY-SA 2.0)

A esfinge chama a atenção mais por seu tamanho do que por sua beleza, já que ela está bem deteriorada. Ela possui 20 metros de altura e 73 metros de comprimento.

A maioria dos turistas fotografam na lateral, pois é o local mais próximo que se pode chegar. Por isso, existe uma grande quantidade de pessoas fazendo poses beijando a esfinge. Porém, na frente dela, apesar de não ser tão próximo e possuir uma parede, também é um local legal para fotografar, já que se tem uma boa visão dela, com as pirâmides ao fundo.

Horário de funcionamento

Um aspecto que você precisa tomar bastante cuidado é com o horário de funcionamento das pirâmides, porque essa não é uma informação fácil de se encontrar na internet. Eu mesmo fui um dia nas pirâmides um pouco antes de fechar. Lá, os policiais já não deixam ir em alguns locais um pouco antes de fechar e quando dá a hora já vão orientando todo mundo a se dirigir em direção à saída.

Não encontrei nenhum site oficial que informasse o horário. Quando fui, no verão, o horário de funcionamento era das 8:00 às 16:00 horas.

Leia também: Onde ficar no Cairo, conheça as regiões da cidade 

Ingresso

O ingresso para entrar no sítio arqueológico é muito barato. Custa $80 EGP, Libras Egípcias, cerca de R$15; estudantes pagam meia ($40 EGP).

Dicas

  • Quase não existem sombras no sítio arqueológico das pirâmides, por isso é necessário levar boné ou chapéu e passar bastante protetor solar.
  • Falta estrutura no sítio arqueológico. Não vi banheiros lá dentro; quando entrei na portaria, quis ir ao banheiro e o guia pediu para eu ir no banheiro que parecia dos funcionários e que estava completamente sujo. Então, recomendo ir ao banheiro antes de entrar no sítio arqueológico.
  • Tudo lá dentro é caro, inclusive água. Além disso, não existe lanchonete. Porém, no lado de fora, próximo a entrada, existem mercearias que vendem bebidas a um bom preço. Também tem uma Pizza Hut em frente a entrada apenas de pedestres. Minha dica é levar água e um lanchinho.
  • Se precisar que alguém tire uma foto para você, peça para um turista, pois se um nativo for tirar a foto, ele, provavelmente, lhe pedirá uma gorjeta por isso.
Foto de capa:  Héctor de Pereda (CC BY-NC 2.0)

Felipe Zig

Felipe Zig é jornalista, fotógrafo e apaixonado por viajar. Depois de conhecer mais de 20 países, decidiu criar o blog “Abrace o Mundo” para dar dicas de viagens e incentivar outras pessoas a viajar.

Share This