Palácio de Verão - Foto: Miquel Lleixà Mora (CC BY-NC-ND 2.0) China

Pequim ou Beijing, na grafia nova, é uma cidade e tanto. A capital da China é um lugar de muitas atrações turísticas e de muitas emoções. Um local onde você pode encontrar atrações turísticas incríveis, uma cultura muito diferente e um povo um tanto quanto mal educado.

Leia também: Pequim, roteiro de 3, 4 e 5 dias pela capital chinesa

Pequim ou Beijing

O nome correto em mandarim, atualmente, é Beijing; nome já utilizado nas Olimpíadas de 2008. Pequim vem da grafia antiga, Peking, que já não é mais utilizada. Por isso, se você falar Peking na China, as pessoas não entenderão que está se referindo a Beijing.

História

Pequim é a capital da China há seis séculos. Então, a cidade tem muita história para contar. Antes mesmo de se falar em China, Pequim foi a capital de duas dinastias Liao e Jin. Mas, foi com a invasão mongol de Genghis Khan que a cidade começou a ganhar importância. Seu neto Kublai Khan transformou a cidade na capital do império mongol, quando era chamada de Cambaluc; como é mostrado na série Marco Polo, da Netflix. Com a reconquista do território pelos chineses, a capital foi transferida para o sul do país. Porém, meio século depois, a dinastia Ming transformou novamente Pequim em capital. Foi justamente nessa época que começou o desenvolvimento cultural da cidade.

rlago ao redor da cidade proibida

Cidade Proibida – Foto: Yiannis Theologos (CC BY 2.0)

Cidade Proibida

Talvez a atração mais importante de Pequim e que possui mais relevância histórica é a Cidade Proibida. Construída logo no início da dinastia Ming, no começo do século XV, a Cidade Proibida é o imenso Palácio Imperial da China. Seu nome é devido a ninguém poder entrar ou sair sem a permissão do imperador. O Palácio é imenso, você chega a ficar perdido lá dentro, não sendo um exagero chamar de cidade! Como está muito bem preservado, é um ótimo exemplo da arquitetura chinesa.

Leia também: O que fazer em Pequim, conheça os 7 principais pontos turísticos

arquitetura cidade proibida pequim china

Cidade Proibida

Outros pontos turísticos

Na mesma época da Cidade Proibida foi construído o Templo do Céu, um imenso templo redondo que chama a atenção por sua arquitetura peculiar. O Palácio de Verão (Yiheyuan), foto de capa, é outro interessante exemplo da arquitetura chinesa, já do século XVIII. Não podemos deixar de falar da Muralha da China, que não está em Pequim, mas próxima, a 75 km de distância da cidade.

Leia também: Muralha da China, trechos próximos a Pequim

vila do Palacio de verão beijing

Palácio de Verão

Comida e Cultura

Pequim não é apenas pontos turísticos, mas uma imersão na cultura chinesa. Por mais que a cidade tenha se tornado cada vez mais cosmopolita, ainda assim você vai se surpreender com a cultura. As comidas, os costumes da população e inclusive os souvenirs que eles vendem são bem diferentes do que estamos habituados a encontrar no ocidente. Para começar, a comida típica chinesa é muito mais do que você está acostumado a ver nos restaurantes chineses no Brasil. Há uma diversificação de pratos, com vários tipos de carnes e temperos, a maioria deles usando macarrão. Para quem quer apreciar a gastronomia do país, a dica é a Wangfujing Snack Street, uma rua com várias barraquinhas que vendem comida típica de todo o país a preços bem razoáveis.

Leia também: Onde ficar em Pequim, conheça as melhores regiões da cidade

espetinhos de frutas comida típica chinesa Pequim

Espetinhos encontrados na Wangfujing Snack Street – Foto: Joni Cong (CC BY 2.0)

Transformação da cidade

Berço de dinastias e revoluções, Pequim passou por várias transformações ao longo dos séculos. Dezenas de imperadores viveram na cidade, depois vieram a Revolução Chinesa e Cultural. Até hoje a cidade continua passando por uma grande transformação. A cidade que, apesar de grande, era pacata há meio século, hoje é exemplo do crescimento econômico chinês. Ninguém imagina que, há três décadas, eram as bicicletas que dominavam o trânsito da cidade. Hoje, elas representam uma pequena parcela do transporte. Ao mesmo tempo em que os carros passaram a dominar as ruas, o metrô foi expandido em uma velocidade incrível. Atualmente, é um dos maiores do mundo, com 19 linhas, 345 estações e 574 km de trilhos. Outra mudança foi na arquitetura. Grandes arranha-céus apareceram na cidade. Prédios grandes, modernos e com designs inovadores. Quem não se lembra dos estádios das Olimpíadas de 2008? Mas, talvez o que chama mais atenção é a nova sede da Televisão Central da China.

vista aérea da CCTV em pequim

Sede da CCTV – Foto: november-13 (CC BY-NC 2.0)

Hoje, Pequim é uma cidade cosmopolita, sede de várias empresas e concentra pessoas do mundo inteiro. A democracia e a liberdade de expressão ainda não chegaram por lá, mas os eletrônicos, as roupas e quaisquer outros bens de consumo são achados facilmente na cidade. A China é um dos maiores mercados consumidores do mundo e um exemplo disso é a loja da Adidas de Sanlitun, que é a maior loja da Adidas do mundo. Apesar da cidade ter seu lado moderno, conseguiu também manter uma parte histórica. É justamente essa parte histórica que leva turistas à cidade, mas não deixa de ser interessante observar uma cidade que está em expansão e que tenta mesclar o modernismo com uma tradição milenar.

Leia também as outras matérias sobre a China:

É barato viajar para a China? Veja quanto custa uma viagem para Pequim

A arte da pechincha, como comprar barato na China

Como chegar em Badaling, o trecho mais turístico da Muralha da China

Foto de cada do Palácio de Verão: Miquel Lleixà Mora (CC BY-NC-ND 2.0)

Felipe Zig

Felipe Zig é jornalista, fotógrafo e apaixonado por viajar. Depois de conhecer mais de 20 países, decidiu criar o blog “Abrace o Mundo” para dar dicas de viagens e incentivar outras pessoas a viajar.

Share This