Foto: cb_agulto (CC BY-NC-ND 2.0) Itália

Uma das principais atrações turísticas da Itália e motivo de viagem de muita gente, o Vaticano é uma atração a parte em Roma. A Cidade-Estado possui um dos maiores e mais importantes museus do mundo, denominado Museus do Vaticano. Ele é o 8° museu mais visitado do mundo, segundo a Themed Entertainment Association. São mais de seis milhões de visitantes por ano. Nenhum outro museu da Itália possui um público tão grande!

Leia também: Atrações de Roma, veja preços e quanto tempo necessário

E, toda essa fama é devido ao seu acervo. O local conta com uma incrível coleção de arte, abrigando estátuas,  pinturas e arte sacra. Um acervo que demorou séculos para se reunir, começando na Idade Média. No ano de 1506, o Papa Júlio II criou o museu.

Conglomerado de Museus

Quando falamos Museus do Vaticano parece algo estranho denominar o museu no plural. Isso é devido ao fato de ser um conglomerado de museus, que foram criados em épocas diferentes e que podem possuir um certo grau de autonomia. Porém, na prática é como se fosse um único museu com várias seções ou galerias diferentes. Todos são interligados e muitas vezes você nem percebe que saiu de um museu (seção) e entrou em outro.

O que ver

O Museu é bem grande e fica em um local no Vaticano, onde antes já foram aposentos papais em séculos passados. Por isso, algumas salas são ricamente decoradas. Falando dos museus propriamente ditos, há de vários tipos, como um museu dedicado a estátuas egípcias, outro sobre arte etrusca, galerias com tapeçarias dos séculos XV ao XVII e outra com mapas dos Estados Papais. Ainda existe um conjunto de salas decoradas pelo pintor renascentista Rafael. Entretanto, os museus que chamam mais atenção são os que possuem estátuas romanas; há vários deles, com estátuas imponentes e belas.

Não podemos deixar de falar da Pinacoteca, onde se encontram obras de grandes nomes da História da Arte, como Leonardo da Vinci, Caravaggio, Rafael, entre outros.

Leia também: Quando ir à Roma, veja clima e preços de cada época

Pinacoteca do Vaticano

Capela Sistina

Apesar dos vários museus e obras de artes interessantes, o que é mais famoso e chama a atenção do público nos Museus do Vaticano é a Capela Sistina. A famosa capela, local onde acontecem os conclaves (eleições para Papa), é onde nenhum turista quer deixar de visitar. Por isso, está sempre cheia. Ao entrar na capela, todo mundo olha para cima, para ver a célebre pintura da criação de Michelangelo.

O que muita gente não sabe, é que essa pintura é apenas uma de inúmeras pequenas pinturas no teto da capela. Isso decepciona muita gente, porque você acha que a famosa cena de Michelangelo cobre todo o teto da Capela Sistina, mas quando chega lá, é apenas uma pintura entre inúmeras outras.

Teto da Capela Sistina – Foto: Wikipédia (CC BY 2.0)

A Criação de Adão de Michelangelo – Foto: Wikipédia (CC BY 2.0)

Escada Espiral

A visita ao museu termina com outra obra bastante conhecida: a escada helicoidal dupla, espiral ou simplesmente em caracol. A escada, projetada por Giuseppe Momo, foi construída entre 1929 e 1932 e é coberta por painéis de bronze. Esse é um dos locais mais fotografados do museu, pois a famosa escada é muito interessante e rende boas fotos!

Preço

O ingresso para os Museus do Vaticano custa €16 e se você comprar pela internet aumenta mais €4. É bom lembrar, que o Roma Pass não é válido para entrar nos Museus do Vaticano, para saber mais leia Roma Pass vale a pena? Compare os preços.

Horário de visitação

9:00 às 18:00 horas

O museu também abre para visitação noturna das 19:00 às 23:00 em algumas sextas-feiras, para saber mais clique aqui para ver as informações no site oficial (em inglês).

Minha entrada nos Museus do Vaticano foi uma cortesia da administração do museu.

Leia também nossas outras matérias sobre a Itália:

Roma, uma cidade intensa e cheia de encantos

Hospedagem em Roma, onde ficar e onde não ficar

É caro viajar para a Itália? Veja quanto custa uma viagem à Roma

7 dicas essenciais da Itália

Foto de capa:  cb_agulto (CC BY-NC-ND 2.0)

Felipe Zig

Felipe Zig é jornalista, fotógrafo e apaixonado por viajar. Depois de conhecer mais de 20 países, decidiu criar o blog “Abrace o Mundo” para dar dicas de viagens e incentivar outras pessoas a viajar.

Share This