Foto: taki Lau (CC BY-SA 2.0) Dicas

Se você já está escolhendo sua mochila, suponho que já tenha decidido desbravar o mundo como mochileiro. Caso ainda esteja em dúvida se vale a pena viajar de mochila ou de mala de rodinha, sugiro que leia primeiro o texto Viajar com mochila ou mala, qual a melhor opção?

Agora, já decidido que a mochila será sua companheira em sua próxima viagem, lhe darei algumas dicas de como comprar uma mochila cargueira, conhecida popularmente como mochilão.

mochilão grande para viajar

Foto: Antoine K (CC BY-SA 2.0)

Tamanho

A primeira escolha que você precisa fazer é escolher qual tamanho de mochila comprará. Isso não é algo fácil de decidir, mas darei algumas dicas para ajudar na sua escolha.

Você precisa comprar uma mochila que permita colocar uma quantidade de roupa suficiente para uma viagem. Então, isso vai depender do tamanho da sua viagem. O mínimo seria uma mochila de 40 litros para uma viagem pequena. Porém, essa quantidade é pouca para uma viagem maior, por isso sugiro comprar mochilas a partir de 50 litros. Além disso, se você pretende fazer viagens maiores, com pelo menos três semanas, sugiro uma mochila de 60 litros. No meu caso, que faço viagens de 4 a 5 semanas, tenho uma mochila de 70+10 litros. É melhor sobrar do que faltar espaço!

Foto: Ricardo Alexsandro Vicentine

O que é esse +10?

Algumas mochilas possuem um sistema de aumento de volume. O mais comum é esse sistema que aumenta 10 litros. Isso pode ser interessante, porque durante a viagem, você pode comprar algo e precisar de mais espaço; ou fazer algum passeio de mais de um dia, por exemplo em uma praia, em que você deixará seu mochilão e seu tênis no guarda volumes do hotel/hostel e viajará apenas de chinelo, com pouquíssimas roupas. É o que, por exemplo, acontece com quem viaja para a incrível San Blas.

O que é mochila de ataque?

Mochila de ataque é uma mochila pequena, para usar no dia a dia. Enquanto seu mochilão ficará no hostel/hotel, você sairá apenas com a mochila de ataque, suficiente para caber o básico: câmera fotográfica, água, mapas, boné, etc. Dependendo pode caber até a sua blusa de frio.

Essa mochila é importante também na hora de viajar de avião. A maioria dos mochilões precisam ser despachados e a mochila de ataque ficará com você e será onde você colocará os objetos frágeis como os eletrônicos.

mulher com uma mochila de ataque

Mochila de ataque – Foto: CollegeDegrees360 (CC BY-SA 2.0)

Alguns mochilões já vêm com uma mochila de ataque, que pode ser anexada na mochila maior. Normalmente, são os modelos mais caros que já vêm com essa mochilinha. Mas, você pode usar qualquer mochila pequena como de ataque. Eu mesmo uso uma mochila que nem é tão pequena como mochila de ataque, porque viajo com minha câmera profissional e só ela já ocupa um bom espaço.

Mochila de ataque acoplada no mochilão – Foto: Divulgação Deuter

Mochila como saco e mochila com ziper

Uma questão fundamental e que muita gente não dá a devida atenção é como a mochila fecha. A maioria dos mochilões não possui nenhum tipo de travamento, eles fecham com uma cordinha. O resultado é que qualquer um pode abri-lo. Para evitar que mexam na sua mochila durante o trâmite no aeroporto é necessário embalá-la com plástico no aeroporto, o que aumenta os custos da sua viagem.

Há outras mochilas, que na verdade são minoria, que fecham com zíper. Se você colocar um cadeado ninguém conseguirá abri-la. É lógico que é possível estourar o cadeado, mas fica mais difícil mexer nas suas coisas. Para você entender a diferença das mochilas, veja as fotos abaixo.

Mochilao tipo saco

Mochila que fecha com cordinha

Mochila cargueira com ziper

Mochila que fecha com zíper

Acessórios

Os mochilões podem ter vários acessórios que não são essenciais, mas que podem facilitar a sua vida. Um dos mais importantes é a capa de chuva. Há várias mochilas que vêm com uma capa de chuva, o que pode evitar roupas molhadas.Outro acessório interessante são fitas para estabilizar a bagagem e evitar que suas roupas revirem e amarrotem.

A quantidade de compartimentos também é interessante. Quanto mais compartimentos, melhor você poderá dividir suas bagagens, como separar roupas sujas das limpas.  Porém, é claro, quanto mais acessórios a mochila tiver, mais cara ela será.

gato dentro de uma mochila cargueira

Foto: CaptMikey9 (CC BY 2.0)

Foto de: Estevan e Julia

Qualidade

A principal dica é não pensar apenas na próxima viagem. Mochilas cargueiras são caras e quanto melhor a mochila mais tempo ela vai durar. Um erro básico que tive e acredito que muita gente também tem é comprar uma mochila bem barata. Se for comprar pensando em apenas uma viagem, pode ser uma boa opção. Entretanto, se for pensar que no futuro haverão novas viagens, aí o barato pode sair caro!

Nem sempre é possível comprar uma boa mochila. No meu caso, era estudante e estava fazendo intercâmbio na Europa. Era a primeira mochila para o meu primeiro mochilão. Não tinha dinheiro para comprar uma melhor. A mochila que comprei me atendeu bem. Ainda mais porque fiz pequenas viagens de no máximo duas semanas. Já, em uma segunda e maior viagem pela América do Sul, percebi que aquela não era uma boa mochila, pois não era confortável e não cabia muitas coisas. Aí comprei uma segunda mochila da Nord que era barata, bonita e até que podemos dizer que confortável. Nesse caso, o problema foi o acabamento. No primeiro mochilão, ela apresentou um pequeno rasgado que se transformou em um rasgado grande no segundo, o que inviabilizou de utilizá-la, por questões de segurança. Só aí aprendi a lição e comprei uma mochila boa, a Deuter Traveller 70+10. Custou caro, R$1000, mas, pelo acabamento espero que seja uma mochila que dure pelo resto da vida. Além é claro de ser mais confortável.

Quando devo investir em uma boa mochila?

Quanto mais tempo você tiver que passar com a mochila nas costas, melhor ela precisa ser. Quem faz trilhas já está acostumado com isso e sabe como é ruim passar várias horas, às vezes dias, com uma má mochila nas costas.

Por isso, se você pretende fazer a trilha Inca em Machu Picchu ou a trilha para o Monte Roraima na Venezuela ou qualquer outra trilha que precisará caminhar por vários dias com uma mochila nas costas, recomendo que você compre uma boa.

Por outro lado, se sua necessidade é apenas ir do aeroporto para o hostel, do hostel para a rodoviária, não precisa ser uma mochila tão boa. Isso é claro, caso você não faça os deslocamentos à pé; porque, caso você e seus companheiros (as) de viagem sejam do tipo de “apenas 2 km vamos a pé”. De 2 em 2 km, no final da viagem suas costas estarão doendo.

Leia também: O que é um hostel?

mochileiros caminhando por uma trilha

Foto: roger.williams (CC BY-NC 2.0)

Mochila feminina

Pode até parecer bobagem, mas, existem modelos de mochilas exclusivos para mulheres.  Os corpos de homens e mulheres possuem diferenças e são, justamente, elas quem mais sofrem para poder carregar uma mochila por mais tempo. Por isso, pode ser interessante comprar um modelo feminino, que se diferenciará pela ergonomia e não pelas cores. Porém, é preciso ver se você sentirá a diferença, porque, normalmente, marcas mais caras é que vendem modelos femininos e pode não justificar o preço.

Mochila Feminina – Foto: Divulgação Deuter

Regulagem

Não adianta você ter a melhor mochila do mundo e ela não estar regulada para seu tamanho. Por exemplo, se uma alça estiver maior do que a outra, você sentirá o peso em apenas um dos ombros e alguns minutos já serão suficientes para você sentir dor.

Onde comprar?

Na internet é onde você encontrará os melhores preços. Entretanto, sugiro antes você ir a uma loja física para poder colocar nas costas, ver o material, para assim poder escolher com mais precisão qual modelo você comprará.

lojas que vendem mochias para mochileiro

Foto: Divulgação Deuter

Leia também outros posts sobre dicas essenciais de uma viagem:

Como se vestir em países muito frios

Dinheiro, crédito, pré-pago ou traveler cheque, como levar dinheiro?

Reservar ou não o hotel?

Como planejar uma viagem por conta própria ao exterior

Foto de capa de: taki Lau (CC BY-SA 2.0)

Felipe Zig

Felipe Zig é jornalista, fotógrafo e apaixonado por viajar. Depois de conhecer mais de 20 países, decidiu criar o blog “Abrace o Mundo” para dar dicas de viagens e incentivar outras pessoas a viajar.

Share This