Metade do Mundo e Museu Intiñan em Quito Equador

[Atualizado em 13/11/2017] Quito, a capital do Equador, está localizada muito próxima à latitude 0°. A linha do Equador, que divide o mundo em hemisfério norte e sul, passa a poucos quilômetros da cidade. E, devido à importância desse linha imaginária foi construído há 37 anos um monumento que veio a dar origem à Cidade Metade do Mundo. O local é um dos mais importantes pontos turísticos de Quito e faz parte do roteiro de todo turista que visita a capital equatoriana. Vale a pena ressaltar que também há um outro museu chamado Intiñan, que fica próximo e é ainda mais interessante que a Cidade Metade do Mundo!

Leia também: O que fazer em Quito, conheça os 7 principais pontos turísticos 

Cidade Metade do Mundo

A Cidade Metade do Mundo é o local onde se acreditava que passava a linha do Equador. As origens da Cidade Metade do Mundo remetem ao século XVIII, quando uma missão francesa visitou o Equador para fazer pesquisas e ver se o globo terrestre era achatado nos polos. Medições, já no século XX, definiram que a linha do Equador passava no local. Em 1979, construíram um monumento retangular que indicava as direções dos pontos cardeais: norte, sul, leste e oeste. É desse monumento que partem as linhas amarelas no chão mostrando a divisão do hemisfério norte e sul. Uma das fotos mais tradicionais que os turistas fazem é colocando um pé no hemisfério norte e outro no sul. Entretanto, depois da criação do GPS se descobriu que não é ali que passava a linha do Equador, mas há 200 metros de distância, onde é hoje o Museu Intiñan.

Tradicional foto na Metade do Mundo

Tradicional foto na Metade do Mundo

Porém, independente de não ser o local exato da latitude 0º, o lugar é bonito e vale a visita! O preço da entrada que é meio alto, já que não há muito o que fazer lá dentro. Além do monumento central que é o local principal e mais fotografado, há pequenos museus como o Museu Quito Colonial e o Museu da Missão Francesa. Os museus são pequenas salas e não possuem muita coisa interessante. Por isso, a visita à Cidade Metade do Mundo não dura muito tempo, em duas horas é possível ver tudo.

Quando ir

Durante a semana a Cidade Metade do Mundo fica mais vazia e é melhor para fotografar. Já aos finais de semana torna-se mais cheia, principalmente quando acontecem apresentações culturais, como danças típicas e folclóricas. Visitei no domingo de dias das mães, o local estava bem cheio, mas não lotado.

Decoração especial de Dia das Mães

Decoração especial de Dia das Mães

Preços

Há dois tipos de ingressos: o completo que custa U$7,50 e o simples que custa U$3,50 [nov/2017]. A diferença entre eles é que o completo dá direito a entrar no Museu Quito Colonial, que conta a história de Quito e Cuenca e também ao Planetário, apra saber mais sobre os ingressos entrei no site oficial clicando aqui. Comprei o simples, pois vi muitas pessoas relatando que não valia a pena o completo, pois o planetário não é tão interessante e possui grandes filas e o museu possui uma interessante maquete, mas não vale o preço.

Onde Comer

Dentro da Cidade Metade do Mundo há várias opções de restaurantes. Um dos pratos mais tradicionais é o Cuy, porquinho da índia, assado. O problema é o preço, os restaurantes são caros! Para quem busca uma opção mais barata, há uma galeria de lojas em frente a Cidade Metade do Mundo, onde há um fast-food Subway e uma pizzaria.

Leia também: Onde ficar em Quito, no Centro Histórico ou em La Mariscal? 

UNASUL

A sede da União de Nações Sul-Americanas, UNASUL, está localizada ao lado da entrada da Metade do Mundo. É um prédio muito bonito, com design moderno e que chama a atenção de quem passa. Não é possível entrar no edifício, mas vale a pena tirar algumas fotos!

Sede da Unasul - Foto: Agencia de Noticias ANDES (CC BY-SA 2.0)

Sede da Unasul – Foto: Agencia de Noticias ANDES (CC BY-SA 2.0)

Museu Intiñan

O Museu Intiñan localiza-se a, aproximadamente, 200 metros da Cidade Metade do Mundo, em uma entrada meio escondida. O Museu é pequeno e não é bonito, mas é muito interessante! É no Museu Intiñan que passa a latitude 0º e segundo a administração do local, foi usado um GPS militar para ter exatidão do real local onde passa a linha do Equador. No Intiñan a visita é guiada e muito interativa, o guia faz vários experimentos para você ver as diferenças dos hemisférios, como a água de uma torneira girando em direções opostas no hemisfério norte e sul. Porém, o mais interessante são os testes na latitude 0º e dentre eles o que mais me surpreendeu foi o teste de força. Uma pessoa força os braços para cima e uma outra com um dedo consegue abaixá-los na latitude 0º; o mesmo teste é refeito a alguns metros dali, onde é necessária muito mais força. Também não é fácil andar de olhos fechados na linha do Equador, pois você desequilibra muito mais, isso tudo é devido a linha do Equador possuir forças geofísicas diferentes.

Andando de olhos fechados na linha do Equador

Andando de olhos fechados na linha do Equador

A maioria dos turistas não vão ao Museu Intiñan, se limitam em ir à Metade do Mundo. Entretanto, considero que vale a pena a visita, pois o Museu Intiñan é um complemento da visita à Cidade Metade do Mundo.

Museu Intiñan

Museu Intiñan

Preço

A entrada custa U$4 e a visita guiada dura entre 40 minutos e uma hora.

Como Chegar

A Metade do Mundo fica na cidade de Pichincha, a 26 km do Centro Histórico de Quito. Há quem visite o local por excursão, mas não é necessário, pois é muito simples e fácil chegar por transporte público. É só pegar um ônibus até o terminal Ofelia, o último do metro-bus. Se você estiver no Centro Histórico, é só ir até a terminal Martin e de lá pegar um ônibus até Ofelia. Estando no terminal Ofelia, você pega outro ônibus que vem escrito “Mitad del Mundo”. Peça ao cobrador ou ao motorista lhe avisar quando chegar, pois esse não é o ponto final, mas sempre tem gente que desce lá! O trajeto inteiro demora cerca de 1h30min.

Veja nossas outras matérias sobre o Equador:

– Cuenca, uma charmosa cidade histórica no Equador

– Baños, o que fazer na cidade da aventura no Equador

– Chapéu Panamá, o famoso sombrero de origem equatoriana

– Balanço do Fim do Mundo, um lugar único e mágico


Felipe Zig

Felipe Zig é jornalista, fotógrafo e apaixonado por viajar. Depois de conhecer mais de 20 países, decidiu criar o blog “Abrace o Mundo” para dar dicas de viagens e incentivar outras pessoas a viajar.

Share This