Itaúnas, cidade das dunas e do forró Espírito Santo

Itaúnas é uma pequena vila no litoral norte do Espírito Santo. O local ficou famoso devido às suas dunas e às casas de shows especializadas em forró e é hoje um dos principais destinos turísticos do estado.

Apesar de pequena, Itaúnas é uma vila antiga que precisou mudar sua localização. A vila, antigamente, ficava ao lado das dunas, separada apenas por uma pequena mata. Entretanto, essa mata foi retirada entre 1938 e 1942 e as dunas começaram a avançar sobre a cidade, obrigando os moradores a se mudarem para o outro lado do Rio Itaúnas. A última família a deixar a antiga vila foi em 1972, quando a maioria das construções já estavam submersas pela areia.

Da década de 1930 para a atualidade a vila cresceu, passou de 350 para 2 mil habitantes. Porém, ela manteve seu aspecto rústico, as construções são baixas e as ruas continuaram de terra, muito por conta dos moradores que não quiseram que asfaltassem as ruas e cimentassem as praças, para não perder toda aquela atmosfera. Esses aspectos também se refletem no tipo de turista que chega à vila: pessoas que buscam um contato maior com a natureza e que desfrutam do ritmo tranquilo que a vila segue. E é claro, aproveitar um bom forró pé de serra.

Leia também: Itaúnas: quando ir, como chegar e onde ficar

Vila de Itaúnas

Vila de Itaúnas

Dunas de Itaúnas

A principal atração de Itaúnas são as suas dunas, que se localizam muito próximas à vila, a apenas 500 metros de distância. Já que entre Itaúnas e o mar há um rio, as dunas são o local mais próximo para se chegar ao mar. Existem seis barracas de praia que ficam, aproximadamente, a 1000 metros da vila. É possível ir de carro até o começo das dunas, mas de lá é necessário fazer uma caminhada de 300 metros para chegar no mar. Por isso, para se locomover dentro da vila e chegar até a praia não é necessário carro.

Barracas de praia de Itaúnas

Barracas de praia de Itaúnas

Pôr do sol visto das dunas

Pôr do sol visto das dunas

As dunas ficam dentro do Parque Estadual de Itaúnas e apesar delas serem a parte mais famosa, o parque criado em 1991, possui 3800 hectares e conta também com matas, mangues e rio. Para quem deseja conhecer melhor o parque há algumas atividades para se realizar por lá, veja abaixo.

Ecoturismo

No Parque Estadual de Itaúnas você pode fazer várias atividades de ecoturismo. Elas são oferecidas pelo Grupo de Condutores Ambientais de Itaúnas que são moradores locais, guias certificados e conhecem bem o parque.

Cicloturismo

Há duas trilhas para se percorrer de bicicleta. A Trilha da Almescar percorre a mata de restinga e tem esse nome devido a várias árvores Almescar que podem ser encontradas no caminho. Essa árvore possui uma resina que pode ser utilizada para fazer incenso, como repelente e ainda é medicinal. Essa trilha possui 3 km de extensão e dura 2h30min. Valor: R$35.

A outra opção é a Trilha do Pescador, que percorre um pequeno percurso com a bicicleta e depois continua caminhando pelas dunas a pé até chegar à Praia Grande, onde há vários barcos de pescadores. Essa trilha também possui 3 km e dura 2 horas. Valor: R$35.

Foto do Grupo de Condutores Ambientais de Itaúnas

Foto: Grupo de Condutores Ambientais de Itaúnas

Caminhadas

As caminhadas são destinadas para grupos de cinco ou mais pessoas e há três opções e trilhas. A menor trilha é a Trilha do Pescador que percorre 1,6 km e chega até a Praia Grande, dura 2 horas e custa R$20.

A trilha do Tamandaré leva os visitantes para onde era a Vila Antiga e ainda percorre a mata de restinga e áreas de inundação, percorre um trajeto de 3 km, dura 2h30min e custa R$20.Já a trilha Buraco do Bicho é a maior delas e leva o visitante até um imenso buraco nas dunas, que segundo os antigos foi feito por um “bicho” desconhecido. A trilha possui 4,5 km, dura 4 horas e custa R$30. Caso os grupos sejam maiores é possível negociar o valor.

Foto: Grupo de Condutores Ambientais de Itaúnas

Foto: Grupo de Condutores Ambientais de Itaúnas

Caiaque

Outra opção de ecoturismo é fazer caiaque no Rio Itaúnas. No percurso, os guias mostram a fauna e a flora da região. O passeio chega na ilha fluvial de Dominguinhos, que está no Rio Angelim, afluente do Rio Itaúnas; nessa parte é possível nadar. O passeio dura 2h30min e custa R$40.

Para saber mais informações sobre as trilhas e confirmar os preços entre em contato com o Grupo de Condutores Ambientais de Itaúnas clicando aqui.

Foto: Grupo de Condutores Ambientais de Itaúnas

Foto: Grupo de Condutores Ambientais de Itaúnas

Outras praias

Além das praias das dunas há outras praias próximas a Itaúnas ao norte da cidade. O problema é que você vai depender de carro para chegar até lá, porque elas não ficam muito próximas da vila e não há transporte público. A estrada é de terra, mas qualquer tipo de carro dá conta de encarar. Para quem não está de carro é possível contratar um bugre para chegar até as praias.A praia mais próxima é a Praia do Riacho Doce, local onde o Rio Itaúnas deságua no mar e fica a 16 km de Itaúnas. As demais praias já ficam na Bahia, a primeira é Costa Dourada, 30 km; depois vem Coqueiros, 32 km e em seguida Gesuel, 36 km.

Praia das Dunas de Itaúnas

Praia das Dunas de Itaúnas

Forró

Itaúnas tem fama de ser a cidade das dunas e do forró. O ritmo é o mais popular entre os habitantes da vila e o mais tocado nas casas de shows. É no vilarejo que acontece todos os anos, no mês de julho, o Festival Nacional de Forró que leva bandas de todo o Brasil para tocar na cidade, inclusive nomes consagrados desse gênero musical.

Além do forró, outro ritmo que você também vai escutar em Itaúnas é o reggae, porém em menor escala. Apesar da proximidade com a Bahia, o axé não faz sucesso no vilarejo. Para saber mais sobre a noite de Itaúnas leia o post Conheça a noite de Itaúnas, a capital do forró.

Foto: Café Brasil Itaúnas

Foto: Café Brasil Itaúnas

Dicas

Em Itaúnas não há bancos, caixas eletrônicos ou postos de gasolina. A maior parte dos hotéis e restaurantes aceitam cartão de crédito, mas é bom levar dinheiro por precaução. A vila também não possui supermercados, apenas pequenos mercadinhos que não são baratos.

 


Felipe Zig

Felipe Zig é jornalista, fotógrafo e apaixonado por viajar. Depois de conhecer mais de 20 países, decidiu criar o blog “Abrace o Mundo” para dar dicas de viagens e incentivar outras pessoas a viajar.

Share This