Escalando Pacaya: o vulcão ativo mais turístico da Guatemala Guatemala

Subir um vulcão não é daquelas atividades que você faz todo dia. Mas vale a pena fazer, pelo menos, uma vez na vida! Se o vulcão estiver ativo melhor ainda, mais emocionante será a subida! Mas, não se preocupe, pois erupções são previstas com um tempo razoável de antecedência. Só não me pergunte quanto tempo, pois é o tipo de informação que eu prefiro não ficar sabendo!

Mas, vamos começar pelo começo! A Guatemala, famosa por suas ruínas maias, possui 33 vulcões. Três deles estão ativos: Santiaguito, Fuego e Pacaya. O mais turístico deles é o Pacaya, mais baixo e fácil de subir que o Fuego e mais bonito que o Santiaguito. Porém, o que faz do vulcão Pacaya ser o mais procurado pelos turistas é sua proximidade com Antigua, antiga capital da Guatemala e cidade mais turística do país.

Leia também: Antigua, a Ouro Preto da Guatemala

O vulcão fica próximo de Antigua, 38 km, uma hora e meia de van. O jeito mais comum de ir é com um tour, organizado pelas agências de turismo de Antigua. Há tours pela manhã e pela tarde, mas os horários não são dos melhores. Ou você madruga para ir pela manhã 6:00 às 12:00 horas, ou sai a tarde e pega o friozinho da noite 14:00 às 20:00 horas.

Como acordar cedo não é o meu forte, fui pela tarde! Uma van nos pegou no hotel, mas ela saiu meia hora atrasada e isso gerou um transtorno no final do tour, mas isso conto depois. O tour custa GTQ80 quetzales (R$33) e a entrada do vulcão 50GTQ (R$20). O guia que é local, conhece muito a região, mas não possui treinamento de guia, só falava se você perguntasse alguma coisa.

vulcão-Pacaya

Da entrada até o vulcão é uma caminhada de 3,5 km e demora cerca de 1h30min a subida. Mas, não é uma caminhada muito difícil, mesmo quem é sedentário consegue fazer. Porém, se você achar que não dará conta de subir, pode alugar um cavalo. Os donos dos cavalos os levam até a metade do caminho, porque a experiência já lhes mostrou que o povo só percebe que não dá conta é no caminho. O mais difícil são os primeiros quinze minutos, pois a ladeira é mais íngreme, depois fica mais tranquilo! A maior parte do trajeto se faz em meio a mata, em que há sombra. Mesmo assim, paramos algumas vezes para todo mundo descansar. Apesar de todo o grupo ser jovem, a caminhada é cansativa!

pacaya

Depois de uma hora e meia chegamos ao vulcão! O visual é lindo! Há apenas rochas pretas que são lavas vulcânicas solidificadas. A última erupção ocorreu em 2014. No começo era possível ver a lava derretida vermelha, mas agora ela já se solidificou. Porém, em alguns lugares as rochas continuam quentes. Nessas partes damos uma parada para assar marshmallows, que o próprio guia leva.

Assando marshmallows no vulcão Pacaya.

Assando marshmallows no vulcão Pacaya.

O Pacaya possui 2552 metros de altitude, porém como o vulcão está ativo, não é possível subir até o topo. Entretanto, até onde vamos é bem alto e é possível ver o sol aproximando do horizonte ao lado de outro vulcão, o vulcão Água. É uma vista muito bonita!

A descida é mais rápida, demora aproximadamente 40 minutos. Como chegamos tarde, todo o percurso atrasou. Na volta, os últimos minutos andamos no escuro, não dava nem para ver onde estávamos pisando. Mas, todos chegamos bem da aventura!

por-do-sol-pacaya

Dicas

  • Levar água e lanche.
  • Se o tempo estiver ruim é melhor não ir, pois em dias nublados não é possível ver o vulcão.
  • Se tiver risco de chover, leve capa de chuva.
  • Vá com um tênis confortável propício a caminhada.
  • Leve um casaco, pois lá em cima venta muito.

Pacaya

Leia também os outros posts da Guatemala

Antigua, a Ouro Preto da Guatemala

Semuc Champey, as maravilhosas piscinas naturais da Guatemala

 


Felipe Zig

Felipe Zig é jornalista, fotógrafo e apaixonado por viajar. Depois de conhecer mais de 20 países, decidiu criar o blog “Abrace o Mundo” para dar dicas de viagens e incentivar outras pessoas a viajar.

Share This