Foto: alex de carvalho (CC BY-NC-ND 2.0) Israel

Israel é um destino turístico muito procurado por brasileiros. O país possui atrações turísticas interessantes, entretanto muita gente tem medo de viajar ao país, com dúvidas se ele é perigoso. Por isso, se você também tem dúvidas se Israel é perigoso, esse texto foi feito para você!

Leia também: É caro viajar para Israel? Veja quanto custa uma viagem à Jerusalém

Assaltos e Roubos

Quando se fala em perigo, existem várias abordagens que podemos dar ao tema. Quando brasileiros pensam em perigo, a primeira ideia que se tem é a violência urbana, resultado de assaltos e roubos, muito comum em nosso país. Nesse quesito, Israel é um país muito seguro, há poucos relatos de roubos e assaltos. Eles não são frequentes, mas existem. Eu mesmo tive uma primeira impressão ruim ao chegar no país, pois peguei um trem do aeroporto ao centro de Tel Aviv e vi um homem roubar um celular e sair correndo. Um policial ou segurança foi atrás dele, o que fez o assaltante jogar o celular no viaduto e sair correndo. No restante da minha estadia por Israel não vi mais nenhum assalto, nem vi turistas falando que foram assaltados. Os próprios brasileiros que vivem em Israel dizem que o país não possui grandes problemas em relação a assaltos e roubos. Assim, neste quesito, você pode ficar despreocupado, mas é claro, ter as atenções que são necessárias em qualquer lugar.

andar a noite na rua em israel

Tel Aviv a noite – Foto: Juozas Šalna (CC BY 2.0)

Terrorismo

Quando falamos de preocupação com a segurança em Israel, estamos nos referindo ao terrorismo. Essa que é a preocupação dos moradores locais. Entretanto, como turista, as chances de um atentado acontecer com você são pequenas. Primeiramente, porque os atentados não são tão comuns quanto muitos imaginam. Acontecem poucos por ano e a maioria utiliza armas brancas como faca, carro, etc. Em segundo lugar, os atentados são feitos por muçulmanos radicais e são direcionados aos judeus e não aos turistas estrangeiros. Ainda existem os foguetes disparados da Faixa de Gaza, porém, raramente deixam alguma vítima e funcionam mais como uma guerra psicológica, já que quando são disparados, soam sirenes e as pessoas vão para abrigos antimísseis.

Tudo isso vemos mais pelos jornais. A probabilidade de acontecer algo enquanto você estiver viajando por Israel é muito pequena. Eu e outros turistas que conversei não vimos nada disso.

Exército nas ruas

A questão da segurança é bastante importante para as autoridades de Israel e até mesmo usada politicamente para retirar a atenção da população dos demais problemas do país. Um primeiro impacto que você terá em Israel é que ver muitas pessoas armadas nas ruas, muitas delas de farda, mas nem todas. O alistamento militar é obrigatório para israelenses e dura três anos para homens e dois para mulheres. Por isso, você verá muitos jovens fardados e segurando grandes armas, alguns deles que nem possuem nenhum perfil de militar.

Contudo, não são só militares que possuem armas, existem muitas pessoas sem fardas usando armas de grande porte, muitas delas são seguranças de instituições, como shoppings e prédios comerciais.

Leia também: Conheça os principais destinos turísticos de Israel

Polícia e exército nas ruas de Jerusalém – Foto: infliv (CC BY 2.0)

Detector de metais e raio X

Em qualquer lugar que você entrar existem máquinas de raio X. É algo meio chato ficar tirando sempre sua mochila e colocando no aparelho de raio X em qualquer lugar que você vai, porém é parte do controle de segurança de Israel, que os nativos já fazem naturalmente. Apenas tome cuidado para seus pertences não caírem no chão. Vi algumas vezes lugares que o fluxo era tão grande de pessoas e a esteira não parava e acabava que algumas bolsas e mochilas caíam no chão.

Locais mais seguros e inseguros do país

O local mais tenso é Jerusalém. A cidade é reivindicada por israelenses e palestinos e era para ser dividida em duas, segundo a ONU, com os palestinos ficando com o lado ocidental, que é a parte histórica. Entretanto, Israel tomou o controle de tudo e isso gera mais tensão na cidade. Além disso, a cidade é reduto dos judeus ultra-ortodoxos, que são os extremistas de Israel. Jerusalém é onde existem mais soldados do exército e pessoas armadas. Para todo lado que você olha tem alguém armado. Mas, como os pontos turísticos são muito policiados, não costuma acontecer nenhum problema.

Leia também: O que fazer em Jerusalém, veja as principais atrações turísticas

Por outro lado, Haifa é a cidade turística mais segura. A cidade é famosa pela convivência pacífica entre judeus e muçulmanos. A consequência disso é que você quase não vê pessoas armadas pelas ruas e o clima de tranquilidade predomina.

Soldadas do exército comemorando feriado religioso – Foto: Galit (CC BY-NC 2.0)

Convivência entre judeus e muçulmanos

Uma surpresa positiva que tive em Israel é ver que a convivência entre judeus e muçulmanos é muito melhor do que eu imaginava. Me hospedei na parte árabe em Jerusalém e vi vários judeus passando por lá e comprando nas lojas. E o contrário também. A violência e intolerância é restrita a um grupo pequeno de cada lado, mas que chama mais atenção do que a grande maioria da população que é pacífica e quer a paz!

Leia também nossas outras matérias sobre Israel:

-Quando ir a Jerusalém? Conheça o clima da cidade

-Onde ficar em Jerusalém

-Mar Morto, o que saber antes de ir

Foto de capa de soldado rezando no Muro das Lamentações - Foto: alex de carvalho (CC BY-NC-ND 2.0)

Felipe Zig

Felipe Zig é jornalista, fotógrafo e apaixonado por viajar. Depois de conhecer mais de 20 países, decidiu criar o blog “Abrace o Mundo” para dar dicas de viagens e incentivar outras pessoas a viajar.

Share This