Trânsito de Bogotá -  Foto: Claudio Olivares Medina (CC BY-NC-ND 2.0) Colômbia

Bogotá é uma grande metrópole, com uma população de quase sete milhões de habitantes. A cidade é extensa e possui problemas de mobilidade urbana como toda grande cidade da América Latina. Principalmente nos horários de pico, o trânsito fica caótico, engarrafado e lento.

Bogotá não possui metrô; a única cidade colombiana que possui metrô é Medellín. Contudo, a ausência do metrô na capital colombiana é suavizada pelo eficiente sistema de BRT, que possui pistas exclusivas, deixando os deslocamentos muito mais rápidos. Veja abaixo os tipos de transportes que você encontrará em Bogotá e já vou logo avisando para tomar muito cuidado com os táxis.

Leia também: Onde ficar em Bogotá, conheça os 4 melhores bairros

TransMilenio – BRT

Bus Rapid Transit ou BRT é o sistema de transporte de ônibus articulados que possuem embarque e desembarque no mesmo nível, ou seja, não precisa subir ou descer escada como nos ônibus comuns de rua, o que torna as paradas muito mais rápidas.

O BRT de Bogotá chama-se TransMilenio e é um sistema muito organizado e eficiente, percorre boa parte da cidade e muitos dos pontos turísticos. O sistema possui 84 km de vias e existem 114 estações de embarque e desembarque. É possível, por exemplo, ir da Candelaria (Centro Histórico) ao aeroporto de TransMilenio e você levará apenas um pouco mais de tempo que em um táxi; isso em horário comum, porque no horário de pico ele pode ser mais rápido que o táxi.

Transmilenio – Foto: mariordo59 (CC BY-SA 2.0)

O problema do TransMilenio é justamente no horário de pico, quando os ônibus ficam muito cheios e fica difícil até mesmo de embarcar. Algumas vezes é preciso esperar dois ou três ônibus passarem para você conseguir embarcar.

Leia também: Os 8 principais pontos turísticos de Bogotá 

Busetas

Esses são os ônibus comuns. Apesar do nome soar estranho, busetas significa pequenos buses. As busetas são os micro-ônibus e vans da cidade. O nome oficial desse transporte é Sistema Integrado de Transporte Público de Bogotá. Eles são conectados ao TransMilenio e chegam aos locais em que o TransMilenio não vai. Entretanto, esse é o pior jeito de se locomover, pois eles não utilizam as faixas exclusivas do TransMilenio, por isso pegam o trânsito caótico nos horários de pico e não são muito organizados.

Buseta – Foto: EMBARQ Brasil (CC BY-NC 2.0)

Táxi

Os táxis em Bogotá são amarelos e funcionam com taxímetro. Possuem bons preços, são mais baratos que nas grandes cidades brasileiras. Porém, é preciso tomar alguns cuidados, pois há muitos relatos de golpes de taxistas contra turistas. A primeira atenção que você deve ter é sempre olhar para o taxímetro ao entrar no táxi. Um dos golpes é deixar o taxímetro ligado e quando você entrar, ele já está ‘nas alturas’. Por isso, sempre verifique se o taxímetro está desligado ao entrar no veículo.

Nunca pague com notas de alto valor, porque, normalmente, eles não possuem troco. Ainda existe um outro tipo de golpe em que o taxista finge procurar troco e troca sua nota por uma falsa e te devolve dizendo que não tem troco. Tudo isso com uma agilidade que você nem percebe.

 

Táxi de Bogotá – Foto: Anna Garlikowska (CC BY-NC-ND 2.0)

O caso mais sério de todos, também é o menos comum. Há relatos de sequestro relâmpago, que é chamado de Paseo Millonario em Bogotá, que é quando os criminosos param em vários caixas eletrônicos para sacarem seu dinheiro. Isso é algo raríssimo de acontecer, então não precisa viajar já pensando nisso.

Uma dica simples para evitar golpes é nunca pegar um táxi na rua, sempre pedir para o hotel, o restaurante, o bar ou o museu chamarem o táxi. Peguei táxis na rua e não aconteceu nada, mas é uma precaução que muita gente gosta de tomar.

Uber

O Uber já está disponível em Bogotá e pode ser uma opção de transporte. Diferente do Brasil, o Uber da Colômbia não é mais barato que os táxis. Segundo os colombianos, o Uber X tem o preço parecido com o táxi amarelo, mas os motoristas são mais honestos que os taxistas.

Foto: Diego Sevilla Ruiz (CC BY-NC 2.0)

Bicicletas

Bogotá foi a cidade pioneira na América Latina a incentivar o uso de bicicletas. A cidade possui mais de 300 km de ciclovias. Era a maior extensão da América Latina até 2016, quando foi ultrapassada por São Paulo. Alugueis de bicicletas não são muito comuns na cidade, mas você pode encontrar algumas lojas. Se for alugar uma bike, pergunte aonde é seguro pedalar, para você não se aventurar em zonas perigosas e correr o risco de ser assaltado.

Foto: Claudio Olivares Medina (CC BY-NC-ND 2.0)

Leia nossas outras matérias sobre a Colômbia

Conheça Bogotá, a cidade que é o coração da Colômbia

Viajar de avião na Colômbia, todas as dicas que você precisa

Como viajar dentro da Colômbia: ônibus, avião ou carro?

Cartagena, a cidade superestimada da Colômbia

 


Felipe Zig

Felipe Zig é jornalista, fotógrafo e apaixonado por viajar. Depois de conhecer mais de 20 países, decidiu criar o blog “Abrace o Mundo” para dar dicas de viagens e incentivar outras pessoas a viajar.

Share This