Como chegar em Badaling, o trecho mais turístico da Muralha da China China

A Muralha da China possui milhares de quilômetros de extensão. Entretanto, a maior parte está muito deteriorada, por isso o turismo se concentra em alguns trechos onde a muralha se manteve mais preservada. Como Pequim (Beijing) é a cidade mais turística, os trechos próximos a capital chinesa são os mais procurados pelos turistas. E Badaling é o mais famoso e turístico deles!

Para conhecer os outros trechos, leia a matéria Muralha da China, trechos próximos a Pequim.

Badaling é o principal destino de quem está em Pequim e pretende conhecer a Muralha. Esse foi o trecho que escolhi conhecer e gostei da escolha! O maior problema de Badaling é justamente derivado de sua fama. A Muralha é muito cheia nessa região! Na parte da Muralha próxima da entrada, você quase precisa desviar das pessoas para andar. Quanto mais você caminha, mais vazio vai ficando. Se você quiser alcançar uma parte vazia da Muralha, terá que andar mais de 1 Km; o que demandará um pouco de esforço, já que a Muralha fica em uma região montanhosa.

Badaling também é um dos trechos mais preservado da Muralha. Nessa parte, a Muralha está em seu formato original, por isso ela precisou ser restaurada e várias partes foram reconstruídas. Muitas pedras foram substituídas e parte do que se vê não são os materiais originais. Se você quer ver a muralha em sua essência, mesmo que em ruínas, os melhores trechos são Jinshanling e Jiankou.

Leia também: O que fazer em Pequim, conheça os 7 principais pontos turísticos 

conhecer-muralha-da-china

Muralha da China em Badaling

Como Chegar

Badaling é o trecho da Muralha em que o acesso é mais fácil, fica a 75 Km de Pequim e você pode chegar de trem ou de ônibus.

Trem

Se você quiser ir de trem, terá que ir a estação Beijing North Station (Pequim Norte). Esse é o modo mais confortável e barato para se chegar à Muralha. A viagem dura entre 70 e 80 minutos e custa ¥6. O trem te deixa a 15 minutos andando da Muralha. Veja antes os horários do trem aqui, para não precisar ficar esperando muito. Talvez o maior problema seja conseguir comunicar na bilheteria para comprar os bilhetes, pois ninguém fala inglês. Mas, nada que um pouco de mímica não resolva!

Ônibus

Essa é a forma mais simples e rápida para se chegar a Badaling e foi o meio de transporte que eu utilizei. Primeiro, você terá que pegar o ônibus urbano nº 5 até Deshengmen, que é o ponto final da linha; os ônibus urbanos de Pequim custam ¥1. Em Deshengmen há vários ônibus saindo para diversos destinos. Há uma linha específica para Badaling, a linha 877, que vai direto à Muralha sem fazer paradas. O ônibus tem ar-condicionado, todo mundo vai sentado e custa ¥12. A viagem dura entre 50 minutos e uma hora. Há ônibus partindo a cada 15 ou 20 minutos. O ônibus te deixa bem próximo a entrada da Muralha e se tiver dúvida é só seguir o fluxo!

Teleférico e Carrinho

Outro diferencial de Badaling é possuir algumas facilidades que outros trechos não possuem. Nessa parte da Muralha há corrimão e degraus nas partes mais íngremes. Entretanto, as maiores facilidades são o teleférico e o trolley (carrinho) que te levam até a Torre 8, uma parte da muralha que fica no alto da montanha. Para quem não quiser subir andando, essa pode ser uma boa opção. Os teleféricos comportam duas pessoas e custam ¥80, ida e volta. Os trolleys são uns carrinhos parecidos com os que existem em parques de diversão, eles passam por meio das árvores e parecem ser mais divertidos; eles custam ¥60, ida e volta. Eu não utilizei esses meios de transportes, até porque eu nem sabia que eles existiam, só descobri quando cheguei lá em cima. Apesar do preço ser um pouco salgado, pode ser uma boa opção para você não passar pela parte mais cheia da Muralha e usar sua energia para desbravar outras partes da Muralha. Mas, tenha ciência que pode haver uma grande fila para pegar esses transportes!

teleferico-badaling

Teleférico de Badaling – Foto de: Allan Watt (CC BY-NC)

badaling-muralha-da-china

Trolley de Badaling – Foto de: Christopher (CC BY)

Bandeira do Brasil

A Muralha da China é um interessante lugar para tirar uma foto com a bandeira do Brasil. Por isso, levei minha bandeira na mochila e no trecho mais alto eu a abri para tirar as fotos. Enquanto eu as tirava, um chinês pediu para tirar uma foto apontando para nós. Como ele não falava inglês e estava acontecendo a Copa do Mundo no Brasil (Julho/2014), pensei que ele queria tirar uma foto com a bandeira. Mas, para minha surpresa ele queria que eu e minha namorada também aparecêssemos na foto. Depois dele, várias outros chineses também quiseram tirar fotos com a bandeira brasileira. Foram mais de dez fotos! Eu, inclusive, tive que guardar a bandeira, senão não iríamos sair dali. Encarei isso como uma admiração ao Brasil. Achamos bem legal!

dicas-muralha-da-china

Preço

A entrada em Badaling custa ¥45 entre Abril e Outubro e ¥40 entre Novembro e Março.

 Dicas

  • Chegar bem cedo lhe ajuda a pegar a Muralha mais vazia, já que grande parte de quem vai a Bandaling chega em excursões no meio da manhã. O final do dia é outro horário mais vazio.
  • Os turistas estrangeiros são a minoria dos visitantes não só da Muralha, como de todos os pontos turísticos de Pequim. Segundo minha observação menos de 10% dos turistas em Badaling eram estrangeiros. Por isso, os vendedores, normalmente, não falam inglês.
  • Comer em Badaling não é caro, há várias lojas e lanchonetes na parte de fora com bons preços. O único problema é que são comidas chinesas e como não há nada escrito em inglês, você terá que comprar para descobri o que é. Se não quiser arriscar, compre algo simples. Eu comi um milho verde cozido, que apesar de não ter sal, estava bom!
Muralha vista da torre mais alta de Badaling

Muralha vista da torre mais alta de Badaling

Leia também as outras matérias sobre a China:

É barato viajar para a China? Veja quanto custa uma viagem para Pequim

 A arte da pechincha, como comprar barato na China

Pequim, a fascinante cidade que é o coração da China

Existe fast foods em países comunistas?


Felipe Zig

Felipe Zig é jornalista, fotógrafo e apaixonado por viajar. Depois de conhecer mais de 20 países, decidiu criar o blog “Abrace o Mundo” para dar dicas de viagens e incentivar outras pessoas a viajar.

Share This